Quercetina na nutrição esportiva: melhorando o desempenho e a recuperação

A quercetina, um flavonoide encontrado em uma variedade de alimentos comuns, tem despertado crescente interesse na comunidade científica devido às suas propriedades benéficas para a saúde. Seu uso na nutrição esportiva tem sido alvo de estudos, explorando sua capacidade de melhorar o desempenho e a recuperação em atletas e praticantes de atividades físicas. 

Neste artigo, vamos contextualizar o potencial da quercetina na nutrição e suplementação esportiva, destacando seus mecanismos de ação e evidências científicas que respaldam sua aplicação nestes contextos. Leia até o final e entenda.

O que é quercetina?

A quercetina é um flavonoide, um tipo de composto fenólico encontrado em várias frutas, vegetais e bebidas, como maçãs, cebolas, chá e vinho tinto. É conhecida por suas propriedades antioxidantes, anti-inflamatórias, antivirais e anticancerígenas. 

Frequentemente consumida através da dieta ou como suplemento, este insumo natural tem apresentado potenciais benefícios para a saúde, incluindo a proteção contra doenças cardiovasculares, neurodegenerativas e certos tipos de câncer. E, agora que sabemos o que é quercetina, partiremos ao foco principal deste artigo.

Leia também: Curcumina: quais os benefícios deste superativo?

Mecanismos de ação da quercetina na nutrição esportiva

A quercetina tem sido objeto de diversas investigações devido ao seu potencial em diminuir o estresse oxidativo, reduzir a inflamação e melhorar o metabolismo lipídico, contribuindo para melhorias no desempenho esportivo e durante o exercício. 

Segundo relata a revisão da International Journal of Exercise Science, a Quercetina atua como antioxidante ao induzir a ligação do ferro ferroso presente em sua composição química, inibindo assim a peroxidação lipídica e protegendo contra danos oxidativos. 

¹ NCBI

Além disso, o composto demonstrou capacidade de aumentar a expressão de enzimas antioxidantes, como a superóxido dismutase e a catalase, proporcionando proteção contra danos celulares causados por espécies reativas de oxigênio.

Por meio da regulação positiva de genes relacionados ao estresse oxidativo, a quercetina exerce um efeito protetor contra o estresse oxidativo, tanto in vivo quanto in vitro. Ademais, ela influencia diversas vias de sinalização antioxidante, modulando a atividade de enzimas e substâncias antioxidantes, o que pode prevenir o estresse oxidativo durante períodos de exercício intenso.

Potencial suplementar da quercetina na melhoria da capacidade de exercício e controle da Inflamação

Com base na análise apresentada pelo American College of Sports Medicine e na revisão da Disciplinarum Scientia, a suplementação de quercetina demonstra potencial para melhorar a capacidade de exercício de resistência. Esta melhoria pode ser atribuída a diversos mecanismos de ação, incluindo a indução da biogênese mitocondrial e o antagonismo do receptor de adenosina.

A indução da biogênese mitocondrial sugere que a quercetina pode estimular a formação de novas mitocôndrias, responsáveis pela produção de energia. Isso pode aumentar a capacidade do corpo de gerar energia, beneficiando várias funções metabólicas e atividades físicas.

Por outro lado, o antagonismo do receptor de adenosina pela quercetina pode resultar em efeitos como aumento da vasodilatação, melhoria da circulação sanguínea, redução da inflamação e até mesmo influência sobre a função cognitiva.

Além disso, a revisão da Disciplinarum Scientia destaca que compostos bioativos, como a quercetina, têm potencial como alternativa de tratamento natural para controlar a inflamação causada pelo exercício físico. A propriedade anti-inflamatória da quercetina pode contribuir significativamente para mitigar os efeitos negativos da inflamação decorrente da atividade física intensa.

Confira: Quercetina e Isoquercetina: qual a diferença entre esses produtos?

O que podemos concluir sobre a quercetina na nutrição esportiva?

Embora evidências preliminares sugiram que a quercetina possui potencial na nutrição esportiva, é importante ressaltar que são necessários mais estudos para entender completamente seus mecanismos de ação e avaliar seu impacto em diferentes populações, como atletas de elite ou pacientes com condições específicas, como defeitos mitocondriais. 

² Research Gate

³ Periódicos

No entanto, diante das descobertas até o momento, a quercetina emerge como uma alternativa promissora para melhorar o desempenho e a recuperação no contexto da prática esportiva. Saiba mais sobre os benefícios da quercetina clicando aqui!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima